a-casa

A CASA
Videodança

Depois da selecção para o “New Film Renaissance Fest” de 24 a 26 de Setembro em Londres, o filme “A Casa” da Companhia Olga Roriz faz também parte da selecção oficial do festival “Thessaloniki Cinedance International”, que decorre na Grécia no próximo mês de Setembro.

SMDbranco

Digressão 2021


Autópsia

23  Jan.
Streaming
Teatro Nacional São João, Porto

29 Jan., 19h30
Em reagendamento
Teatro José Lúcio Silva, Leiria

29 Abr., 21h
Centro Cultural Malaposta, Lisboa

18 Jun.
Teatro José Lúcio da Silva, Leiria

19 Nov.
Convento de São Francisco, Coimbra
Streaming no Teatro Nacional
São João, Porto

27 Nov.
Cine-Teatro Avenida
Castelo Branco

 

.


Seis meses depois

18 e 19 Fev.
Em reagendamento
Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada

16 Out. 21h
Centro de Artes de Águeda

.

Antes que matem os Elefantes

5 Jun. | Excerto da peça
Arena Multiusos de Paio Pires, Seixal

.

Insónia – Nova criação

Estreia absoluta
21 Mai., 20h30
Teatro Municipal de Bragança

11 Jun.
Teatro Municipal Sá de Miranda, Viana do Castelo

17 e 18 Set.
Teatro Aveirense, Aveiro

branco-curto

Digressão 2022

Insónia

13 e 14 Jan.
Centro Cultural de Belém, Lisboa

.

Seis meses depois

25 e 26 Fev. (reagendado)
Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada

for_2021

FOR | Formação Olga Roriz

FOR Dance Theatre
Curso Modular 2021/22

3ª Fase de Audições | 18 de Setembro às 10h
Inscrições abertas

Pré-Requisitos
Formação base/avançada em dança
Noções de composição
Capacidade de adaptação a várias linguagens coreográficas

Audição
Aula de Contemporâneo
Repertório (Companhia Olga Roriz)
Prova livre 3”

+Info | Email | Inscrições

claudia-dias2

Residências Artísticas

Cláudia Dias
Domingo: Estudo 1

Um corpo que luta contra o vento e que nos movimentos que produz aciona um mecanismo produtor de som. Que dança de resistência é esta? E que som produz este corpo em movimento contra o que não se vê?

Conceção e direção | Cláudia Dias; Interpretação | Cláudia Dias, João Miguel Fonseca; Texto | Cláudia Dias; Música original | João Miguel Fonseca; Assistência artística e técnica | Karas; Direcção técnica | Nuno Borda D’Água; Crédito fotografia | João Miguel Fonseca

 

LAP

Iberscena
Programa L.A.P. – Laboratório de Artes Performativas

Residência Artística Internacional Entoar o Corpo Sensível: com a orientação dos artistas Carlos Simioni e Stephane Brodt – que desenvolveram a metodologia do Corpo Sensível no Brasil -, acompanhados dos artistas locais Gustavo Antunes, Julia Medina e Miriam Freitas, atores e investigadores fundadores do L.A.P. O encontro prevê a participação de 10 artistas selecionados por convocatória aberta dirigida a atores, bailarinos, encenadores, coreógrafos e investigadores das artes cénicas interessados por um trabalho de sensibilização do corpo e pela exploração do canto e do cantar como vias para um encontro com o outro e para a potencialização da presença em cena.

Entoar o Corpo Sensível surge, após esse período de distanciamento, como um reencontro com objetivo de conectar o corpo com todas as suas potencialidades: físicas, vocais e psíquicas, e de proporcionar criação e colaboração artística como ferramentas para a interação humana. Esta iniciativa integra o Programa do IBERCENA, tendo sido selecionada a sua primeira edição em Portugal. Conta com o apoio da Fundação GDA, do ICNOVA e FCSH da Universidade NOVA de Lisboa, e do Pólo Cultural Gaivotas. E tem como parceiros o Amok Teatro e Lume Teatro (UNICAMP).

Teatro-do-vao

Teatro do Vão
Vita & Virgínia

Vita & Virgínia, de Eileen Atkins, trata de uma compilação de 20 anos de cartas entre as escritoras Virgínia Woolf e Vita Sackville-West, particularmente a correspondência trocada nos anos 20, quando se conheceram e apaixonaram.

Direção artística | Daniel Gorjão; Interpretação | Teresa Tavares, Maria João Vicente; Música | Martim Sousa Tavares; Produção | Teatro do Vão

hotel-europa

Hotel Europa
Amores do Leste

Em 2019 comemoraram-se 30 anos sobre a queda do Muro de Berlim, a Revolução de Veludo da Checoslováquia e o fim do Comunismo na Europa. Ao longo do nosso trabalho temos vindo a confrontar o nosso passado recente e um dos tópicos que aparece nas nossas discussões são sobretudo as distintas visões que cada um tem do comunismo. Se para um comunismo é sinónimo de resistência e luta pela liberdade, para o outro significa opressão e a ausência total dessa mesma liberdade. O que resta do ideal de resistência e liberdade depois de viver numa terra marcada pela repressão autoritária perpetrada em nome dessa mesma ideologia?

Filipa-e-Guinhermina

Filipa Duarte e Guilherme Barroso
Existência

Compreender a existência humana partindo da nossa própria existência, nos seus aspetos concretos, afetivos, históricos e singulares, valorizando a liberdade de ser e as singularidades de cada indivíduo. Existência – existir – ser, estar, manifestar-se, aparecer, emergir, o movimento de estar junto às coisas do mundo. A reflexão sobre a existência gera questionamentos desde a Grécia Antiga, porém essas questões desenvolveram-se mais intensamente durante os séculos XIX e XX, tendo como principais representantes os filósofos Kierkegaard, Nietzsche, Sartre e Heidegger e os escritores Dostoiévski, Tolstói, Oscar Wilde, Hermann Hesse, Fernando Pessoa, entre outros.

Cocriação e Interpretação | Filipa Duarte e Guilherme Barroso; Apoio à criação e Movimento | Francisco Camacho; Apoio à criação e Dramaturgia | Guilherme Filipe; Apoio à criação e Realização | Nuno Baltazar; Luz | João Cachulo

mariaemayer

Maria & Mayer
Emília

Emília trata-se de série de 6 episódios sobre a história duma rapariga que se debate entre ir atrás do seu sonho de ser bailarina profissional ou continuar a sua vida simples mas desprovida de significado.

Criação | Filipa Amaro; Produção | Maria João Mayer

Grupo de Teatro Lupa

Grupo de Teatro LUPA
Ainda cenas que acontecem

Dando seguimento ao trabalho desenvolvido pelo grupo desde o ‘Cenas que acontecem’, o Lupa apresenta diferentes abordagens sobre situações do real que nos acompanha a todos, com maior ou menos proximidade, com maior ou menor impacto, mas sempre presentes no meio onde coexistimos. Utilizando sempre técnicas inspiradas no Teatro do Oprimido, cria-se espaço para entender o nós e o outro. Encontra-se atualmente a colaborar diretamente com a Junta de Freguesia da Estrela em Lisboa, aplicando as mesmas metodologias aos contextos da freguesia, apresentações em contexto escolar, associativo.

Conceção, criação e interpretação | Ana Cardoso, André Cotrim, Daniela Leal, Filipa Teixeira, Elisa Paulino, João Pedro Amaro, José Branco, José Pedro Alfaiate, Nádia Nogueira, Nuno Câmara Pestana, Susana Mendonça

play.company

Play Company
NARKE

Isto é um filme. Neste espetáculo, um realizador trabalha com cinco actores na tentativa de erguer um filme que represente a sua frustração sobre o capitalismo e tudo aquilo que de negativo dele advém para a sociedade. Narke, em grego, é a origem da palavra Narciso, que significa estupor, entorpecimento. Narciso é uma flor que, apesar de bela e decorativa, significa egoísmo, vaidade, mentira e formalidade.

Texto e encenação | João Pires e Vera Gromicho;Produção | PlayCompany

 

joana-borges

Joana Borges
Dust

Projeto que pretende reagir ao que se passou, ao que todos vivemos neste último ano. Voltando-se para a Natureza, este projeto procura sensibilizar o público para questões ambientais e responder, pela arte da dança, aos enseios comuns de um futuro melhor para todos. É uma obra sobre um ciclo.

Coreografia e conceito | Joana Borges; Interpretação | 8 bailarinos por designar; Som ao vivo | João Valinho; Design e cenário | Tatiana Ferreira; Produção | Joana Cordeiro

residencias

Residências Artísticas Anuais

Artistas residentes
João Rapozo, EIF(E), Camboja Selecta, André de Campos,
The Portfolio Project, Manga Theatre, BodyBuilders & Rafael Alvarez,
Barba Azul Associação Cultural.

+Info