DIAMUNDIALDADANCA

Dia Mundial da Dança


Autópsia

29 Abr. às 20h30
Espetáculo inserido no “Ciclo Território Dança”
Centro Cultural Malaposta (Odivelas)
>> Bilhetes

A CASA (Estreia)
29 Abr. às 00h
Curta-metragem, apresentação Online
>> CCB – Centro Cultural de Belém | Cidade Digital

Autópsia: Percurso de uma criação
29 Abr. às 23h. | RTP2
Filme documental sobre o processo criativo de Autópsia (COR 2019)
>> Trailer

FOR – Formação Olga Roriz

Interpretação de excerto da peça TERRA (COR 2014)
pelos alunos da FOR Dance Theatre, na disciplina de Repertório.
>> Link

SMDbranco

Digressão 2021


Autópsia

23  Jan.
Streaming
Teatro Nacional São João, Porto

29 Jan., 19h30
Em reagendamento
Teatro José Lúcio Silva, Leiria

29 Abr., 21h
Centro Cultural Malaposta, Lisboa
>> Bilhetes

19 Nov.
Convento de São Francisco, Coimbra
Streaming no Teatro Nacional São João

.

Insónia – Nova criação

Estreia absoluta
22 Mai.
Teatro Municipal de Bragança

11 Jun.
Teatro Municipal Sá de Miranda, Viana do Castelo

17 e 18 Set.
Teatro Aveirense, Aveiro

.


Seis meses depois

18 e 19 Fev.
Em reagendamento
Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada

13 Mar.
Reagendado
Centro de Artes de Águeda

.

Antes que matem os Elefantes

5 Jun.
Arena Multiusos de Paio Pires, Seixal

branco-curto

Digressão 2022

Insónia

13 e 14 Jan.
Centro Cultural de Belém, Lisboa

corpoemcadeia

Corpoemcadeia

Levar para contexto prisional um método de criação artística de uma Companhia de dança de autor, com quase 25 anos de vida.
A aplicação de um modelo amplamente experimentado por equipa artística coesa são fatores que geram motivação, confiança e responsabilidade entre reclusos, artistas e terapeutas.
Também acreditamos que qualidade e visibilidade do nosso trabalho artístico contribuirá para um maior alcance social, derrubando muros e preconceitos. Maior pegada artística. Maior pegada social.

Aquilo que constitui o ADN do Corpoemcadeia é a parceria entre o modelo artístico da Companhia Olga Roriz e um modelo de intervenção terapêutica que privilegia a consciência corporal, o aqui e o agora e que entende a existência humana como um processo criativo.

+Info

logos

FOR

FOR | Formação Olga Roriz

FOR Dance Theatre | Curso Modular 2021/22
1ª Fase de Audições | 29 de Maio às 10h

Inscrições abertas

Pré-Requisitos
Formação base/avançada em dança
Noções de composição
Capacidade de adaptação a várias linguagens coreográficas

Audição
Aula de Contemporâneo
Repertório (Companhia Olga Roriz)
Prova livre 3”

+Info | Email | Inscrições

maria_quintas

Workshop de Escrita
Por Maria Quintans

9, 16, 23, 30 de abril
6ªs das 14h40 às 16h40

Inscrições abertas

Carga horária | 8 horas 4 sessões
Preço | 40€ (20% de desconto para os alunos Modular e ex-alunos FOR)
Transferência bancária: PT50 0018 000323478860020 58

Uma oficina vocacionada para explorar, experimentar e fornecer ferramentas para a prática da escrita. Propostas e exercícios para gerar e/ou desbloquear a escrita, apoiados em esquemas simples: analogias a textos clássicos e elaboração de textos a partir de imagens, movimentos, entre outros. Pretende-se explorar a capacidade criativa através da palavra escrita; descobrir a importância de criar; aprendizagem e experimentação de algumas técnicas desbloqueadoras dos processos internos que levam à necessidade e à prática da escrita; elaboração de textos curtos, desde o desenvolvimento da ideia/estímulo até à usa concretização escrita.

mariana

Atelier de Criação
Por Mariana Tengner Barros

8, 15, 22 Mar.
12, 19, 26 Abr.
2ªs das 14h40 às 16h40
Online

Inscrições encerradas

Filtros Fantásticos
Laboratório de experimentação criativa que indaga as possibilidades da dança, do movimento e da performance como prática política de ativação do corpo. Serão investigados modos de atenção e estados de consciência que permitam a reconfiguração dos filtros que usamos para entender a “realidade”. Através da pesquisa de movimento com base na perceção e sensação, conexão corpo-mente e expansão dos sentidos, preparar-se-á outro corpo, articulado, que exprime a linguagem não linear e complexa oriunda da tópica emocional, sensorial e imaginativa, permitindo que a forma apareça através da sensação e da atenção.

Carga horária | 12 horas 6 sessões
Preço | € 60 (-20% para os alunos Modular e ex-alunos FOR)
Transferência bancária: PT50 0018 000323478860020 58

FOR2

FOR Aulas Práticas

Para profissionais e estudantes de Dança, integradas nos cursos da FOR Dance Theatre
Aulas abertas a alunos externos mediante marcação

COVID-19 – De acordo com a declaração de novo confinamento em Janeiro 2021 e as orientações da DGS em curso, a Companhia Olga Roriz suspendeu todas as atividades regulares presenciais de estúdio.

+Info | Inscrições
 

universo-paralelo

Residências Artísticas

Universo Paralelo
Australopiteco

O que é ser diferente e como reagimos perante a diferença? Neste espetáculo de teatro para a infância, o objetivos é a inclusão, humanizar a relação da criança com a diferença através da compreensão e do respeito pelo outro, suscitando, desta maneira, a empatia e o altruísmo, e a aprendizagem de que o que nos une é mais forte do que o que nos separa.

Encenação e texto | Adriana Melo; Curadoria de texto | Alice Vieira; Intérpretes | Beatriz Brito, Clara Franco, Magnum Soares, Mia Meneses

Beatriz-Brito

Beatriz Brito
Quetzal

Os ténis eram brancos. Caminhei. Num ritmo que não sei bem qual era. E quando quis parar. Alguém gritou: “Corre.” Os ténis já́ não eram assim tão brancos. Não sei bem de que cor eram. Não tive tempo de parar. Corri. As pernas? Já́ não as sentia. Não sabia que podia parar. Parar? Não sabia o que era. Ouviram parar. Gritaram: “Não podes parar. Corre mais. Mais.” Corri. De resto pouco me lembro. Os ténis já́ não eram brancos. Já́ não tinham sola. Acho eu. Não reparei bem. Tinha de correr. Só́ me lembro de correr. E de pensar que os ténis. Brancos. Eram. E tinham sola. Ouviram-me a pensar e gritaram: “Tens de chegar. Corre.” Eu corri. Já́ não tenho ténis. Gritei eu. Mas eu corro.

Intérpretes: Beatriz Brito, Jéssica Brandão, Matilde Magalhães

Vania-Geraz

Vânia Geraz
País das Canções de Embalar (Country of Lullabies)

Quando dizemos “as canções/vozes do antigamente”, estas parecem indicar um acontecimento que se terá passado numa zona concreta do território (vozes no campo a trabalhar a terra, uma mãe a embalar um filho à beira do rio, um homem a gritar no alto do monte, um lamento perto do farol, vozes numa festa e risos perto da capela). Lembramo-nos dessas vozes/histórias que carregam um lugar e, também, uma ética, uma forma de viver.

Criação, interpretação e produção | Vânia Geraz

GAC

GAC – Grupo d’Artes e Comédias do Banco de Portugal
Tchéckhoviana

Maratona de várias peças de Tchekhov.

Encenação | Miguel Loureiro (com Carla Maciel); Assistente de encenação | Bernardo Beja; Sonoplastia | Miguel Loureiro; Iluminação | Daniel Worm; Desenho Gráfico | Miguel Assunção; Guarda-Roupa e Cenografia | Inês Peres; Elenco: Beatriz Filipe, Cátia Araújo, Filomena Bispo, Francisco Sousa, Guilherme Soares, Isabel Lage, Laura Ferreira, Luís Alexandre, Lurdes Colaço, Mário Filipe, Pedro Fialho, Rui Leitão, Teresa Nogueira; Operação de Luz | João Lacueva; Operação de Som | Duarte Molarinho; Produção | Filomena Bispo, Isabel Lage, Rui Leitão

Sara Inês Gigante

Sara Inês Gigante
YOLO – You Only Live Once

“BoA noite. SintAm-se em cAsA. DesAfio-vos A pArticipArem num jogo durAnte uMA horA e meiA.” Ouve-se esta voz antes do espetáculo começar. Estão três jovens no palco, e vocês na plateia. Um dos jovens grita: YOLO!
YOLO (You Only Live Once) é uma sigla maioritariamente utilizada por jovens veiculando a ideia de usufruir cada momento como se fosse o último. Este “jogo” questionará a relação da geração juvenil com o futuro e o mundo. O jogo começa.

Criação | Sara Inês Gigante; Interpretação | João Nunes Monteiro, Lia Carvalho, Sara Inês Gigante; Apoio dramatúrgico | Joana Bértholo; Música e sonoplastia | Gonçalo Carvalho; Cenografia | F. Ribeiro; Desenho de luz | Manuel Abrantes

 

play.company

Play Company
No Mad Hotel

Uma história real, passada em Março de 2018, no The No Mad Hotel – Nova York. A história da família Wood, que envolveu um dos atores deste espetáculo, vai ser contada na primeira pessoa pelo mesmo. Uma família destroçada por uma informação pessoal, usada como arma manchada de poder asqueroso. Com a junção de duas dais mais bonitas artes – o cinema e o teatro – acompanhamos a forma que Emily e Thomas arranjaram para irem ao encontro da mãe, que os abandonou. Eles vão descobrindo todos os motivos que levaram ao abandono, resultando na sua destruição. Confirmamos, com uma história real, que o poder está na informação.

Texto | João Pires; Encenação | João Pires, Vera Gromicho; Elenco | José Fidalgo, Margarida Cardeal, João Pires, Carolina Frias, Vicente Gil, Pedro Ribeiro; Produção | Gonçalo Tavares

Sofia Silva

Sofia Silva
Interior Presente

O que somos nós, enquanto seres individuais que habitamos o nosso corpo? O que pensamos, o que sentimos, na relação connosco próprios, quando estamos a sós? Quais são as nossas questões internas mais profundas, quando nos encontramos no silêncio do exterior e no nosso ruído interior?

Conceção e Criação coreográfica | Sofia Silva; Interpretação | José Grossinho, Marta Cerqueira, Sofia Silva; Criação musical | Carlos Marecos; Produção | Inestética Companhia Teatral

 

Grupo de Teatro Lupa

Grupo de Teatro Lupa
Ainda cenas que acontecem

Dando seguimento ao trabalho desenvolvido pelo grupo desde o ‘Cenas que acontecem’, o Lupa apresenta diferentes abordagens sobre situações do real que nos acompanha a todos, com maior ou menos proximidade, com maior ou menor impacto mas sempre presentes no meio onde co-existimos. Utilizando sempre técnicas inspiradas no Teatro do Oprimido, cria-se espaço para entender o nós e o outro. Encontra-se actualmente a colaborar directamente com a Junta de Freguesia da Estrela em Lisboa, aplicando as mesmas metodologias aos contextos da freguesia, apresentações em contexto escolar, associativo.

Conceção, criação e interpretação | Ana Cardoso, André Cotrim, Daniela Leal, Filipa Teixeira, Elisa Paulino, João Pedro Amaro, José Branco, José Pedro Alfaiate, Nádia Nogueira, Nuno Câmara Pestana, Susana Mendonça

Yael Karavan

Yael Karavan
Oficina de Butoh

O Butoh não se trata de uma técnica, mas de um método e uma abordagem da dança que nasce dentro de nós e nos conecta à nossa essência, natureza, universo e ciclos da vida e da morte. Os principais elementos que serão trabalhados na oficina são: metamorfose, presença, contraste, expansão da dança através de imagens (Buoth-Fu) e tensão entre opostos. O objetivo é libertar o corpo “domesticado” de gestos e movimentos preconcebidos, permitindo o acesso à profunda e autêntica essência do movimento. Questionando também a importância do Butoh hoje e como incorporá-lo em um corpo ocidental.

 

residencias

Residências Artísticas Anuais

Artistas residentes: João Rapozo, EIF(E), Camboja Selecta, André de Campos, The Portfolio Project, Manga Theatre, BodyBuilders & Rafael Alvarez. +Info