p5p5logo25anosbranco4

Em 2020 assinalam-se os 25 Anos da Companhia Olga Roriz,
que desde 1995 tem sido uma referência no panorama da dança contemporânea. Em ano de aniversário, a COR realiza um conjunto de iniciativas para assinalar a efeméride.  +Info

Lançamento do livro dos 25 anos da COR
19 de Set., 16h
Salão Nobre | Teatro Nacional D. Maria II
Livro que reúne imagens de todos os espetáculos criados ao longo destes 25 anos dedicados à dança. Esta publicação, que acompanha, através de imagens, o percurso da COR desde 1995 a 2019 reúne dezenas de peças, que envolveram inúmeros intérpretes e outros criadores e artistas, dando uma ampla perspetiva de um quarto de século de dança em Portugal através do olhar de diversos fotógrafos conceituados, como Alípio Padilha, Paulo Pimenta, entre outros.

Documentário: Autópsia | Percurso de uma criação (Estreia)
28 de Set. | Entrada Livre | São Luiz Teatro Municipal
Sala Bernardo Sassetti | Apresentação, 19h
Sala Luís Miguel Cintra | Estreia do documentário, 21h
Conversa moderada por Cláudia Galhós, com o realizador Henrique Pina e a coreógrafa Olga Roriz, seguida de apresentação do documentário.

Apresentação do arquivo histórico e artístico da COR
Palácio Pancas Palha – Data por reagendar

Workshop Intensivo por Yaniv Abraham
Palácio Pancas Palha – Data por reagendar

SMD

Digressão 2020


Autópsia

11 Jan., 21h30
Teatro Sá de Miranda,
Viana do Castelo

8 Fev., 21h
Teatro Joaquim Benite, Almada

21 Fev., 21h30
Centro de Artes de Águeda

26 Set., 21h30
CAE-Centro de Artes e Espectáculos, Figueira da Foz

27 Nov., 21h30
Casa da Cultura de Ílhavo

.


Seis meses depois
Nova Criação 2020

Estreia
18 Set. 21h
19 Set. 19h
20 Set. 16h
Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa (Coprodução)

3 Out., 21h30
Casa das Artes de Famalicão
(coprodução)

31 Out., 21h30
Cine-teatro Louletano, Loulé
(coprodução)

branco-curto

Digressão 2021

Autópsia
23 e 24 Jan., 21h30
Teatro Nacional São João, Porto

29 Jan., 21h30
Teatro José Lúcio Silva, Leiria

13 Fev., 21h30
Teatro Municipal de Bragança

.

Seis meses depois

Festival Abril em Festa
Convento de São Francisco

corpoemcadeia

Corpoemcadeia

Levar para contexto prisional um método de criação artística de uma Companhia de dança de autor, com quase 25 anos de vida.
A aplicação de um modelo amplamente experimentado por equipa artística coesa são fatores que geram motivação, confiança e responsabilidade entre reclusos, artistas e terapeutas.
Também acreditamos que qualidade e visibilidade do nosso trabalho artístico contribuirá para um maior alcance social, derrubando muros e preconceitos. Maior pegada artística. Maior pegada social.

Aquilo que constitui o ADN do Corpoemcadeia é a parceria entre o modelo artístico da Companhia Olga Roriz e um modelo de intervenção terapêutica que privilegia a consciência corporal, o aqui e o agora e que entende a existência humana como um processo criativo.

+Info

logos

FOR2

FOR | Formação Olga Roriz

Chi Kung
por Yonel Serrano

Horário: 3ªs e 5ªs Out., 10h30 às 11h30
Preço | € 25,00/mês
Inscrições Abertas | Email

Aula executada no jardim do Palácio Pancas Palha (necessário trazer ténis)
Aulas criadas pela Companhia Olga Roriz, para participantes com mais de 15 anos: bailarinos, atores, estudantes, etc. Chi Kung (Qi Gong) é uma prática terapêutica em que se realizam exercícios que combinam movimento suave e respiração controlada, e na qual a atenção e a visualização do praticante estão concentradas nas várias partes do corpo, de modo a alterar o fluxo de energia. Chi Kung significa literalmente “energia” (Chi ou Qi) e “habilidade, treino” (Kung ou Gong), ou seja, treino e desenvolvimento da energia (do corpo humano).

violeta

Atelier de Criação
por Violeta Lisboa

Horário: 2, 9, 16, 23 e 30 Nov. | 2ªs das 14h40 às 16h40
Carga horária | 10 horas 5 sessões
Preço | € 50,00/mês
Transferência bancária: PT50 0018 000323478860020 58
Inscrições Abertas | Email

O Corpo ao serviço da Imaginação
Utilizado como ponto de partida o estudo da técnica de corpo desenvolvida por Etienne Decroux, este atelier tem como objectivo o desenvolver de um vocabulario fisico único que permite expressar teatralmente os mais variados comportamentos e conceitos humanos. Através do estudo de ritmos, isolamentos e articulação, o corpo vai ficando ao serviço do interprete permitindo-o dar forma a tudo aquilo que quer e não só ao que consegue.

joao-carneiro

Workshop | Dramaturgia I
por João Carneiro

Horário | 2 Out., a 18 Dez., 6ªs das 14h40 às 16h40
Carga horária | 22 horas 11 sessões
Preço | € 110 (20% de desconto para os alunos e ex-alunos FOR)
Transferência bancária: PT50 0018 000323478860020 58
Inscrições AbertasEmail

Na disciplina de Dramaturgia serão propostas várias modalidades de entender a palavra e o conceito de dramaturgia. A disciplina, de radicação teórica, é indissociável também de uma dimensão eminentemente prática e funcional, na relação necessária entre dramaturgia e artes performativas. As aulas consistirão, por isso, numa articulação entre o discurso teórico e a observação de exemplos práticos; estes exemplos podem ter origem em aspetos da criação artística muito diversos, relativamente aos quais pode ser possível falar de dramaturgia.

 

Lígia-Soares

Atelier de Criação
por Lígia Soares

Horário | 7, 12 e 26 Out., das 14h40 às 16h40
Carga horária | 6 horas 3 sessões
Preço | € 30 (20% de desconto para os alunos e ex-alunos FOR)
Transferência bancária: PT50 0018 000323478860020 58
Inscrições Abertas | Email

A escrita que alimenta a dança e a dança que alimenta a escrita
O movimento como um motor para a escrita e vice-versa. A improvisação e a sua observação como forma de alimentar discurso verbal e não verbal equiparando-os na criação performativa.


FOR

FOR Aulas Práticas

2 Nov. | Reabertura das aulas para alunos externos
Para profissionais e estudantes de Dança, integradas nos cursos da FOR Dance Theatre
Inscrições Abertas | Email

Contemporâneo
Prof. Bruno Alves
2ª, 4ª e 6ª das 10h35 às 12h00
3ª e 5ª das 9h às 10h30

Condicionamento Físico
Prof. Bruno Alves
2ª e 6ª das 9h às 10h30
Prof. Nuno Cabral
4ª das 9h às 10h30 – Yoga

Preços | Aula avulso – 8€
Caderneta mensal 6 aulas – 40€
Caderneta mensal 10 aulas – 50€
Caderneta mensal 20 aulas – 95€
Mensalidade 1 aula/dia – 90€

Elmano-Sancho

Residências Artísticas

Elmano Sancho
Maria, a mãe

A Sagrada Família, caixa retangular de madeira onde se encontram as imagens de José, Maria e Jesus, é um pequeno oratório portátil. Na porta lateral esquerda estão escritos os nomes dos assinantes que pretendem acolhê-la em casa e seguir os ensinamentos da família de Nazaré. O culto remonta ao século XV e existe de forma residual em algumas aldeias do país. Este oratório é o elemento cénico comum aos três textos que integram A Sagrada Família de Elmano Sancho: José, o pai; Maria, a mãe; Jesus, o filho. Maria, a mãe, segundo texto da trilogia sobre a família, é um texto sobre a perda, a dor, a solidão, a velhice, o esquecimento e a morte.

Autoria e encenação | Elmano Sancho; Atores | Custódia Gallego, Elmano Sancho, João Gaspar, Lucília Raimundo; Espaço cénico | Samantha Silva; Figurinos | Ana Paula Rocha; Desenho de luz | Rui Monteiro; Espaço sonoro | Frederico Pereira; Assistente de encenação | Paulo Lage; Coprodução | Teatro da Trindade INATEL, Loup Solitaire

Marta-Reis-Jardim

Marta Reis Jardim
Travessia

A travessia de uma mulher nua em si. Que procura. Que se procura. Uma mulher que está só e é polvo. Que se revela desdobrando-se em múltiplas linguagens e pondo a descoberto partes. Baralha-as e combina-as. Joga com essas partes como se joga a vida! Consciente ou inconscientemente…

Criação e interpretação | Marta Reis jardim, Criação apoiada pela Companhia Olga Roriz (COR), no âmbito da apresentação da mesma no INTERFERÊNCIAS,  1ª edição da Plataforma de Apoio à Criação promovida pela COR em 2019.

outro

outro
As árvores deixam morrer os ramos mais bonitos

Entre uma linha narrativa concreta — a história de uma mulher distante do seu país — e a dissolução dessa linha em acção e imagem. A loucura e o útil na natureza, a opressão do corpo e a atrofia da relação com o outro e o mapa como limite e instrumento de poder.

Criação | outro; Interpretação | João Leão, Patrícia Moreira, Sílvio Vieira, Sofia Fialho; Espaço sonoro | Diogo Quintela; Vídeo e desenho de luz | João Leão; Apoio à cenografia | Ângela Rocha; Assistência | Laura Gama Martins

Bruno-Rodrigues

Bruno Rodrigues
Sessões de Wellness Dance

Com inspirações em Yoga, Pilates, Qi Gong, movimento contemporâneo e criativo.
O foco é o bem-estar interior que irá trespassar para a postura. Relembrar a respirar e promover a respiração como motor de movimento. + Info

Bárbara-Faustino-e-Janice-Iandritsky

Bárbara Faustino e Janice Iandritsky
lava. pó. Nada.

Somos um corpo. O corpo é tudo o que temos desde o nascimento até o fim da vida e a dança é uma ferramenta de absoluta liberdade para pensar este corpo em movimento, do micro ao macro, e reinventá-lo. O ser começa quando começa o corpo, entendido como instaurador do abismo que separa um homem de outro homem, o que nos condena a uma solidão absoluta cujo império cessa apenas com o princípio de outro, o império da morte.

Criação e performance | Bárbara Faustino, Janice Iandritsky

 

Filipe-Baptista

Filipe Baptista
Nadir

Como despir aquilo que não é essencial á nossa sobrevivência individual numa tentativa de nos defrontarmos mais direta e eficazmente com tudo aquilo que carregamos dentro de nós? Com as nossas memórias, marcas e batalhas. O quão necessário se torna termos um espaço sagrado de existência? O que é que o encontro com aquilo que é verdadeiramente bruto e primário potencia nesse processo? O que é que o encontro de um modo de estar mais cru, mais ancestral, desperta? Que combustível interno é que obtemos daí? Que força interna é gerada? Que instintos despertamos? Vislumbramos aqui um corpo encalhado num espaço de ruína, à deriva num ciclo de criação e destruição. Um corpo que caminha entre pequenos despertares e pequenas mortes.

Conceção, direção e performance | Filipe Baptista; Música e ambiente sonoro | João Mendes; Texto e apoio dramatúrgico | Bárbara Bruno; Cenografia e vídeo | Pedro Baptista

hugo-cabral

Hugo Cabral Mendes
Sem título

Questionar e criticar as escolhas e atos de uma pessoa ao ser consumida por sentimentos oníricos e por alimentas pensamentos gananciosos e cruéis, criando em si consequentemente, várias identidades distintas e conflituosas.

 Direção artística | Hugo Cabral Mendes, Inês Gomes; Conceito | Hugo Mendes Cabral; Criação e interpretação | Hugo Cabral Mendes, Tomás Gomes; Assistência de ensaios | Inês Gomes

Maria Varbanova

Maria Varbanova
Epifanias do vazio

Entrar em contacto com uma abundância insondável, suportada pelo espaço aparentemente vazio. O espaço vazio contém uma abundância, feita de todos os imaginários, as evocações, as memórias, os espaços, os tempos presente, passado e futuro. O espaço vazio é a nossa matéria comum: é minha, é do espectador e de todas as pessoas e presenças que carregamos connosco. O espaço vazio é a matriz, o potencial de onde surgem todas as formas. É um terreno de epifanias latentes.

Criação e interpretação | Maria Varbanova; Aconselhamento artístico | Ana Mira, Helena Martos Ramirez; Dramaturgia e cenografia | Filipe Pereira; Vídeo | Mariana Bártolo; Figurinos | Paula Geleia

Delicate-Dinosaur-

Delicate Dinosaur – Associação
O Último Voo do Kauai ‘O’o

“O amor que acaba afasta-se para um outro mundo, à maneira de uma nave espacial que deixa de cintilar” | Roland Barthes. Uma pintura em processo de restauro. Quatro atores que lidam com a problemática intemporal do luto amoroso; querem compreender, sentir, integrar. Como as carpideiras, emprestam à ficção as lágrimas de uma mágoa real. Mas como fazer um funeral sem corpo? – perguntam-se. Entre a vontade de conservar e a necessidade de reforma, qual o plano de restauro mais justo?

Criação e interpretação | André Loubet, João Estima, Rita Delgado; Trabalho de restauro | Isabel Moreira; Sonoplastia e Música original | Pedro Melo Alves; Desenho de Luz | Manuel Abrantes; Cenografia | António MV

Teresa-Coutinho

Teresa Coutinho
O Eterno Debate

O assunto mais premente da atualidade, discutido à volta da mesa por cinco das mentes mais brilhantes do nosso país. A prova viva da pertinência e acutilância do pensamento contemporâneo, para dar resposta aos exageros, às histerias, a esse politicamente correto que parece estar na ordem do dia e tanto nos tem roubado o nosso tão precioso tempo. É uma maçada. Mas não aqui. Finalmente, uma conversa entre pares, entre pensadores, esses grandes herdeiros do pensamento ocidental, com outra atitude. Sem arrogâncias, sem violências, para que se perceba bem como a banda toca, como tem tocado até agora. Pois, porque o problema não está no conteúdo do que para aí se vai reivindicando. Está na maneira, percebem? É a maneira.

Texto | Teresa Coutinho, Guilherme Gomes; Interpretação | Maria Duarte, Rafael Gomes, Rita Cabaço, Rita Cruz, Tânia Alves; Produção | Agência 25

residencias

Residências Artísticas Anuais

Artistas residentes: João Rapozo, EIF(E), Camboja Selecta, André de Campos, The Portfolio Project, Manga Theatre, Produção d’Fusão, BodyBuilders & Rafael Alvarez.